Política de Cookies
Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo Banco Português de Fomento.Saiba mais
Compreendi

Plano "Reativar o Turismo | Construir o Futuro": BPF assegura 4.075M€ de investimento

Notícia . 2021-05-24
Plano Reativar Turismo| Construir o Futuro

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, apresentou na sexta-feira, 21 de maio, o Plano "Reativar o Turismo | Construir o Futuro”.

Esta iniciativa visa a reativação do setor turístico português e ambiciona estimular a economia e a atividade turística, de forma a superar os objetivos e as metas de sustentabilidade económica, ambiental e social definidas na Estratégia para o Turismo 2027: 27.000 milhões de euros de receitas turísticas e 80 milhões de dormidas.

No imediato, e entre outras ações, Siza Vieira salientou que os objetivos centrais do plano são "promover um turismo ao longo de todo o ano e em todo o território, através do apoio ao investimento, da capacitação das empresas, da qualificação dos recursos humanos e da aposta na acessibilidade aérea e na mobilidade sustentável, áreas fundamentais para incentivar a competitividade do destino".

Com um investimento total de 6.112 milhões de euros, oriundos de fundos europeus do PT2030 e dos vários Orçamentos do Estado, o plano prevê um conjunto de iniciativas dirigidas às empresas, aos turistas e aos residentes, que visam elevar o setor do turismo, criar valor, aumentar a reputação da marca Portugal e a sua competitividade enquanto destino turístico.

A maior fatia, no valor de 4.075 milhões de euros, deverá ser assegurada pelo Banco Português de Fomento, que assim poderá canalizar uma verba de 3.000 milhões de euros para apoios públicos às empresas do setor turístico e 1.075 milhões para o seu financiamento.

Na vertente das medidas de apoio, o BPF irá desenvolver e operacionalizar soluções para capitalização das empresas, uma garantia pública para refinanciamento/reescalonamento das moratórias e uma linha de crédito com garantia para financiamento de necessidades de tesouraria, de forma a apoiar a retoma da atividade das empresas do setor turístico.

Na vertente de financiamento, a atuação do BPF passará por um reforço do FIEAE - Fundo Imobiliário Especial de Apoio às Empresas (que visa apoiar empresas em dificuldades financeiras, mas que sejam economicamente viáveis, através da aquisição de imóveis integrados no património dessas empresas), pela operacionalização do programa "Obrigações Turismo” (que visa facilitar o acesso das PME ao financiamento em mercado de capitais), pelo Fundo para a Concentração de Empresas (para apoio ao investimento na concentração de empresas) e pelo Fundo para a Internacionalização das Empresas do Turismo (que visa a sua internacionalização).

Para além destes apoios às empresas, o plano apostará no fomento da segurança e confiança no destino Portugal, no lançamento de novos produtos turísticos e campanhas de promoção externa e interna, de forma a promover a competitividade, estimular a procura e potenciar a geração de negócio no setor  do turismo.

 Saiba mais sobre o plano aqui