Política de Cookies
Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo Banco Português de Fomento.Saiba mais
Compreendi

BPF recebe 33 candidaturas ao Programa Consolidar, num valor superior a € 1.300 milhões

Notícia . 2022-02-18
Programa Consolidar
O Banco Português de Fomento recebeu 33 candidaturas ao Programa Consolidar, um dos programas de investimento do Fundo de Capitalização e Resiliência (FdCR) lançados no passado mês de janeiro.

O montante total das candidaturas, submetidas por Sociedades de Capital de Risco e Sociedades Gestoras de Capital de Risco, ascendeu a mais de 1.300 milhões de euros de investimentos propostos para o FdCR, para a constituição de Fundos de Capital de Risco com uma dotação agregada superior a 3.100 milhões de euros.

Terminado este período, o processo de seleção prossegue agora para a fase seguinte, de análise das candidaturas e due diligence, incluindo eventuais pedidos de esclarecimento aos candidatos e reuniões de apresentação dos melhores classificados e, finalmente, tomada de decisão do BPF, depois de ouvida a Comissão Técnica de Investimento do FdCR.

Para Beatriz Freitas, CEO do BPF, "o sucesso deste período de candidaturas resulta da experiência do BPF na relação com o mercado e com as Sociedades de Capital de Risco, razão pela qual recebemos um número tão elevado de candidaturas. O enorme interesse demonstrado e a significativa participação de investidores privados no Programa confirma o seu alinhamento com os objetivos de política pública perseguidos pelo BPF e estabelecidos para o FdCR”.

Com uma dotação de 250 milhões de euros, o Programa Consolidar visa promover o investimento em PME e Mid Caps, impactadas pela pandemia de Covid-19, mas economicamente viáveis e com potencial de recuperação, através da subscrição de fundos de capital de risco em coinvestimento com investidores privados.

O investimento pode ser feito através de fundos de capital de risco geridos por intermediários financeiros (Sociedades de Capital de Risco ou Sociedades Gestoras de Capital de Risco), com o objetivo de fomentar o crescimento, expansão e consolidação de projetos empresariais, bem como o desenvolvimento de novas áreas de negócio e novos produtos, através da reestruturação dos respetivos modelos de negócio e a profissionalização e reforço da equipa de gestão dos Beneficiários Finais.

Saiba mais sobre os novos programas de investimento do Fundo de Capitalização e Resiliência aqui