Política de Cookies
Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo Banco Português de Fomento.Saiba mais
Compreendi

BPF investe 3,7 milhões de euros na Chrysea Labs, através do Fundo 200M

Notícia . 2022-06-09
BPF investe na Chrysea
O Banco Português de Fomento, através do Fundo de Coinvestimento 200M, investiu 3,7 milhões de euros (3.721.387,04€) na Chrysea Labs, uma empresa de biologia sintética que desenvolve intervenções nutricionais de precisão, apoiadas por pesquisas clínicas rigorosas, tendo em vista proporcionar um percurso de vida e um envelhecimento saudáveis.

A ronda de investimento contou também com a participação, em parceria, da JuvLife, do Grupo Juvenescence.

O projeto a ser desenvolvido através desta parceria é uma pequena molécula, de origem natural, que tem provas pré-clínicas substanciais de benefícios na manutenção da função cardiovascular, cognitiva e imunológica em indivíduos envelhecidos. 

As intervenções desenvolvidas pela Chrysea são destinadas a otimizar um mecanismo de antienvelhecimento natural chamado autofagia - um processo em que as células se reciclam e se limpam de estruturas danificadas -, e que se revela muito importante para a manutenção da saúde em geral e para mitigar o impacto provocado por doenças relacionadas com o envelhecimento.

"As moléculas desenvolvidas pela Chrysea são metabolitos naturais que induzem a autofagia nos nossos corpos, ajudando a limpar os detritos celulares e estimulando a regeneração celular essencial para um envelhecimento saudável", explica Colin Watts, presidente da JuvLife.

Pedro de Noronha Pissarra, CEO da Chrysea Labs, acrescenta que "até à data, esta molécula não tem estado disponível numa forma pura, e em quantidade e qualidade suficientes para desenvolver e comercializar um produto altamente puro e fiável, produzido e desenvolvido de uma forma consistente e reprodutível. Os processos inovadores da Chrysea criaram esta oportunidade". 

Para Beatriz Freitas, CEO do Banco Português de Fomento, que gere o Fundo 200M "é com grande entusiasmo que o Fundo de Coinvestimento 200M apoia o projeto da Chrysea Labs de desenvolvimento de intervenções nutricionais de precisão, que, suportadas por uma investigação clínica rigorosa, visam proporcionar um percurso de vida e envelhecimento saudáveis. A Chrysea e a sua equipa de especialistas representam o talento e o know-how que existem na comunidade científica portuguesa, na procura de respostas a necessidades da sociedade atual, e que contribuem para inovar e dinamizar o ecossistema empresarial. Com este investimento, o BPF, que disponibiliza uma variedade de instrumentos financeiros que podem corresponder às diferentes necessidades das empresas e, em particular, das startups em cada fase do seu desenvolvimento, dá mais um contributo importante de apoio e reforço da competitividade do ecossistema empresarial português".

Saiba mais sobre o Fundo 200M e conheça aqui as empresas investidas.